▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
De 2ª a 6ª das 08:00 as 18:00hs - Sábados das 08:00 as 18:00hs - Estamos a sua disposição !
F:(11)2914-8097 / 2272-8132 comercial e 7871-1780 celular
ou "Clique Aqui" e deixe sua mensagem !
Reserve já a sua ave, entregamos para sua maior comodidade (Grande São Paulo) e despachamos para todo o Brasil

Tabela Atualizada diariamente confira!

Criadouro e PETShop Sudica

Ring Neck - Novas Mutações - 100% legalizados junto ao IBAMA

Uma parceria do Criadouro Comercial Nanine com o Criadouro Sudica oferecem aves 100% legalizadas com toda a documentação necessária - Enviamos aves para todo o Brasil Clique Aqui e fale conosco !

Os Agapornis

Estes simpáticos e multicoloridos periquitos, de fácil manutenção, rapidamente conquistaram a todos. São também conhecidos por “LoveBirds”, termo em inglês originado do grego Agapornis: (agape = amor; ornis = ave ou pássaro), devido ao fato de formarem um casal para a vida toda.


Os Agapórnis são originários de diversas regiões do continente africano, incluindo Madagascar, Naníbia e Zimbabue. Pertencem a família dos Psitacídeos, onde estão incluídos também os Periquitos Australianos, Roselas, Caturritas, Maritacas, Calopsitas, Papagaios e Araras, entre outros.

O gênero Agapornis divide-se em 9 espécies: A. cana, A. fisher, A. liliane, A. nigrigenis, A. personata, A. pullaria, A. roseicollis, A. swinderniana e A. taranta. O menor é o Agapornis cana com cerca de 13 cm e o maior é o A. taranta com cerca de 18 cm e 60 gramas de peso. De maneira geral, o Agapórnis mede cerca de 16 cm de comprimento e seu peso varia em torno de 35 a 55 g.

Reprodução:
As únicas espécies que apresentam dimorfismo sexual, isto é, permitem identificação de machos e fêmeas através de características externas, como a coloração das penas, são a A. cana, A. taranta e a A. pullaria. Nas demais, apenas diferenças internas são perceptíveis: os machos apresentam os ossos da bacia mais fechados e pontudos, enquanto que os ossos das fêmeas são mais abertos e arredondados. Normalmente o macho é menor e mais calmo, enquanto a fêmea costuma ser mais “faladora” e agitada, porém sempre existem exceções.

O Agapórnis pode realizar três posturas por ano. A média de ovos varia entre 2 a 6, sendo que a eclosão ocorre cerca de 23 dias após a postura do primeiro ovo. Quem constrói o ninho é a fêmea. O macho pode brincar com os materiais para a construção do ninho, como palha de milho, capim, folhas secas de coqueiros e gravetos, mas não os leva para o ninho.

Manutenção:
Podem ser criados em gaiolas com no mínimo 80 cm de comprimento, 50 cm de largura e 60 cm de altura. A gaiola deve conter um ninho horizontal tipo caixa, com 30 cm de altura, 15 cm de largura e 15 cm de comprimento aproximadamente, com sala e quarto, sendo que no quarto o fundo deve ser côncavo. O ninho para a espécie A. fisher pode ser vertical, com as seguintes medidas 20 cm x 15 cm x 15 cm aproximadamente. Ambos devem ter cerca de 5 cm de entrada, com um poleiro. A gaiola ainda deve possuir um comedouro e um bebedouro fixos para que eles não derrubem, porém removível para a limpeza, além de uma tigela com água para que se banhem. A água deve ser fresca e trocada todos os dias. Limpeza é fundamental para a prevenção de doenças. Para isso, é interessante que a gaiola tenha uma bandeja removível para facilitar a limpeza. Você pode optar por forrá-la com algum papel absorvente (tipo jornal) que deve ser trocado diariamente. Faça a desinfecção do bebedouro, comedouro, banheira e fundo da gaiola, no mínimo duas vezes por semana.

Os Agapórnis são alegres e expertos. Coloque alguns “brinquedinhos” na gaiola para que façam exercícios e se distraiam. Alguns poleiros espaçados também são úteis e possibilitarão muitas vezes observar o “namorico” destes belos pássaros.
Design by Antonio Silva ^